domingo, 29 de março de 2015

Domingo

Meus caros, sabendo da vossa infinita boa vontade, de novo, aproveito para abusar. Tendo acabado de ler tudo o que tinha em lista de espera, encontro-me a aceitar ofertas de livros (p.f. apenas enviar obras que comprovadamente valham tanto o esforço de leitura como o de as ir buscar aos correios). As senhoras, entre os 25 e os 35 anos, podem e devem "esquecer" fotografia, em trajes menores, nas paginas interiores, devidamente autografada e com informação de contacto.
 
Para sempre agradecido,
 
O vosso Miguel Fernandes.
 
 
Para mais esclarecimentos contactar via e-mail.

sábado, 28 de março de 2015

P.U.A

 
Numa iniciativa positiva, pois o espaço carece deste tipo de intervenção, a autarquia plantou 50 pinheiros mansos junto à estrada que delimita o "Futuro Parque Urbano da Agueira". Passado uma semana, fruto de alguma "proactividade" da sociedade civil, quantos restam?
 
a) 50%;
 
b) 30%;
 
c) 15%;
 
d) Nenhum.

Assim, assumindo que, a breve prazo, a autarquia irá repor as árvores em falta, de modo a evitar a repetição da "brincadeira", deve apostar em plantar árvores mais desenvolvidas ou, em alternativa, realizar a intervenção no interior do Futuro P.U.A, protegendo-se melhor da "diligência dos amigos do alheio".

Que fique claro, esta iniciativa autárquica tem tanto de importante e louvável como a "iniciativa privada" tem de condenável.

Sábado


terça-feira, 24 de março de 2015

Orçamento Participativo

 
Por estes dias, alguma coisa corre seriamente mal no gabinete de comunicação da autarquia. Não é normal que às Segundas, Quartas e Sextas se calem os cidadãos e às Terças, Quintas e Sábados se espere a sua participação. Dificilmente se pode ser mais ambivalente que isto, caro Dr. Sobrado.

Sobre o Orçamento Participativo de 2015 resta esperar que, relativamente ao ano anterior, seja mais participado e que, efectivamente, sirva para apoiar novas ideias e não para "cobrir" promessas eleitorais por cumprir.

Ainda sobre o "Caso Miranda", a autarquia corta o direito à palavra a um cidadão e não há consequências? Mais uma vez a oposição e a imprensa são apanhados a dormir?

segunda-feira, 23 de março de 2015

Dar voz a Miranda

(Foto de Liliana Rodrigues)

A atitude do gabinete de comunicação do município é reveladora de uma certa forma de estar na vida pública de quem se preocupa mais com a imagem do que com o conteúdo. Apagar comentários desta natureza "Não é melhor começarem a cortar nas conferências, apresentações e outras festas? Fazem bonitas fotografias, isso fazem. E as cadeiras vazias são cada vez mais. O que é demais..." é completamente antidemocrático. Um executivo que se afirma Charlie devia ser capaz de melhor que isto.
 
PS: Troco quatro vereadores da oposição por um Miranda!

quarta-feira, 18 de março de 2015

Tribunopédia III

Vinholês: Novilíngua cultivada e desenvolvida pelo Município de Viseu, tendo sido adoptada no período inicial do pós-ruísmo [2014 -****] . De acordo com o Dicionário Contemporâneo da Língua Portuguesa, em termos lexicais, este é um tipo de linguagem relativamente pobre não ultrapassando a classificação de zurrapa, estando muito associado ao vocabulário new-wave/marketeiro próprio da cultura yuppie, logo desajustado à realidade local. No plano popular "vinholês" é a expressão que se usa para definir um tipo discurso político caracterizado por um excesso, "muita parra e pouca uva"!

O estimável Dr. Ruas

Aqui

terça-feira, 17 de março de 2015

Natalidade

Depois de um firme apelo a uma prática regular de actividades sexuais sem fins recreativos, entre a população em idade reprodutiva, ser capaz de atrair e fixar população jovem é a melhor solução para resolver os problemas de natalidade. É nestes pontos que estamos em falha!

segunda-feira, 16 de março de 2015

Tribunopédia II

Antífrase: - do Grego: Antiphrasis - "Expressão Contrária".
 
Antífrase é uma figura de estilo que consiste na expressão de uma ideia por intermédio de um termo oposto, ela também se verifica quando ocorre a utilização carinhosa de termos ofensivos. 
 
Normalmente é empregue, de forma subversiva, em textos jornalísticos ou políticos, por exemplo, através do engrandecimento de uma ideia funesta, procurando assim, o autor, exprimir uma opinião de sentido inverso ao que o texto, numa "primeira leitura", encerra.  
 
Não sendo sinónimos, a antífrase pertence à classe dos tropos: Eufemismo/Ironia/Sarcasmo.
 
Exercício prático: No seguinte texto identifique uma antífrase.

domingo, 15 de março de 2015

O toiro



"On my farm, the bull is the king of the yard;
He's big and bad and fast, he's strong he's . . . hard.
All my other animals would readily concur
That he is the one you salute, he's the one you call "Sir".
But my hens, a noisy, flighty flock -
Led, of course by my unsubmissive cock -
Whenever His Majesty the bull importantly goes by
They dance along behind him and they cry:
"Beware of the bull!"

The bull, the bull is the biggest of all.
He is the boss, he is, because he's big and we are small.
But the bigger the bull, bigger the bull, bigger the balls.
The bigger the bull, the bigger and quicker and thicker the bullshite falls.
Beware of the bull! The dancing cock is right:
Beware of whoever looks down upon you from a height.
Beware of His Honour, His Excellence, His Grace, His Worshipful,
Beware of His Highness, because of the bull.
For if the boss, the chief, the chap at the top
Should let a single lump of claptrap drop,
The greater the weight and the height he is, the harder it will go
With a grander splat! on the bleeders below.
Beware of the bull!

The bull, the bull is the biggest of all.
He is the boss, he is, because he's big and we are small.
But the bigger the bull, bigger the bull, bigger the balls.
The bigger the bull, the bigger and quicker and thicker the bullshite falls.(...)"

quinta-feira, 12 de março de 2015

quarta-feira, 11 de março de 2015

domingo, 8 de março de 2015

segunda-feira, 2 de março de 2015

Dão Petiz

 Jovem, tens entre os 6 e os 12 anos? A tua vida está numa encruzilhada? O teu pequeno-almoço de eleição sempre foram sopas de cavalo cansado? Gostavas de beber tanto como o teu avô Sidónio sem sofrer os efeitos secundários, tais como bater na avó Floripes, circular na via pública em roupa interior, ser adepto do Benfica, não recordar as últimas 48 horas da tua vida? Nesse caso acompanha o teu bollycao com vinhos premium na Academia Dão Petiz [O sítio onde se fabricam os Sidónios do futuro]. Não te esqueças: O vinho mata a fome a um milhão de portugueses e a sede ao teu pai!