terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Ao gabinete de comunicação

Caro Sobrado,
 
O teu gabinete está-me a falhar ao nível de um texto do Boaventura Sousa Santos. Na autarquia ninguém sabe que publicar imagens de menores, sem autorização dos respectivos pais ou encarregados de educação, é crime? Não é que os menores se sintam melindrados por aparecerem lado da Sôdona Odete ou do Dr. Almeida Henriques, não vou por aí, é mesmo uma questão legal.  

A oposição


A JS a fazer o que faz falta.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Ganhou o Bairro, viva o Bairro!

Deixem ver se percebi. O Dr. Almeida Henriques vai aproveitar este orçamento participativo para resolver, mesmo que parcialmente, um problema para o qual tinha oferecido uma resolução enquadrada no seu projecto Viseu Primeiro? Ninguém encontra nesta ideia um pleonasmo, um paradoxo, uma ironia ou outra figura de estilo?

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Orçamento Representativo


É já hoje a cerimónia de entrega de cheques na escadaria. Está de parabéns o executivo. Nem na Versalhes de Luís XIV se faria melhor.


Ps: Dr. Almeida, a Sôdona Odete explicará a referência, estou certo.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Carta Aberta

CARTA ABERTA AO SR PRESIDENTE DA CÂMARA DE VISEU
Dr. Almeida Henriques:
 
Dois motivos fortes me levaram à reunião pública da CMV que se realizou em Orgens.
O primeiro, para desmentir as afirmações e insinuações proferidas na última Assembleia Municipal,  onde  fui  citado acerca  duma página  numa  rede  social  onde pretensamente estaria a prejudicar o Centro Histórico, bem como do facto de não ter aceite  o convite para integrar uma Comissão do Centro Histórico.

O segundo, para pedir soluções para algumas das muito graves questões que de há três anos a esta parte temos vindo a apresentar à Câmara Municipal de Viseu, sem qualquer resultado.

Concedeu-nos nesta reunião apenas cinco minutos. Pouco tempo para um assunto já com tantos capítulos, que Vossa Excelência conhece, mas que insiste em não dar solução nem respostas.

O discurso seria de cerca de quinze minutos, pelo que decidi omitir a primeira parte que era precisamente o desmentido às insinuações que fizera na AM, optando por dar relevo ao mais importante que é o barulho nocturno e o não cumprimento do Regulamento municipal e da lei, bem como a alteração recente ao estacionamento, como já terá verificado pelo documento que deveria ter lido e lhe foi entregue.

 Vossa Exª  não quis dar resposta às importantes questões  que acabara de lhe apresentar.

sábado, 10 de janeiro de 2015

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Terras do Demo

Caro Almeida Henriques, estava esticado no sofá a abrir uma cerveja e a dar-lhe no Zappa quando, de novo, me vejo obrigado a ser o anti-herói das beiras.

Eu não queria, a minha preguiça não permite grandes veleidades em termos de heroismo, mas volta e meia, não havendo melhor alternativa, sou forçado a repor a ordem.

Que fique claro: A culpa é sua, não é minha. Vamos à vaca fria que a cerveja aquece.
O que é um anti-herói? Um anti-herói é um sujeito sem grandes qualidades que por motivos de força maior toma atitudes que surgem aos nossos olhos como positivas.

Por exemplo: no grande Nabo até podemos simpatizar com Humbert Humbert, que a certa altura podemos confundir como um anti-herói, mas não é, nunca foi.

Descendo dois degraus na escadaria cultural. Quando viu o "Rambo I" estava a ver um anti-social que parte a cidade toda porque foi vitima de uma injustiça. Não foi altruísmo, foi umbiguismo o que levou o anti-herói a actuar.

Um alerta: Quando vir o "Batman" não confunda a Catwoman (anti-heroína) com o Joker (vilão), a coisa pode correr mal. Por um lado ela beija melhor; por outro, tanto quanto sei, ele pode ser da família do Salgado - como sabe, a árvore geneológica dos vilões é estreita, são todos primos.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015