quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Visão



"Oh squiggly line in my eye fluid. 
 I see you lurking there on the periphery of my vision. 
 But when I try to look at you, you scurry away. 
 Are you shy, squiggly line? 
 Why only when I ignore you, do you return to the center of my eye? 
 Oh, squiggly line, it’s alright, you are forgiven."

Para quando?

Boa, boa! E agora: para quando a referência multibanco nas cartas do SMAS?

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Atrás de mim virá...

Entretanto no Rossio, porque 2017 é já amanhã, tenta-se acabar com o mito Ruas. Diz o povo e com razão: "Atrás de mim virá quem de mim mau fará."

sábado, 16 de agosto de 2014

Inatingível

 
Quando eras inatingível, foi nessa altura que te desejei mais. Não agora que caminhas entre nós.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Poupadinha a Srª Expovis

Se metade do orçamento for para bandas, por 130€, podemos esperar perto de 4000 espectáculos, ou seja umas estrondosas 60 actuações por dia. Ou é o Tony Carreira que me está a estragar as contas?

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

X.U.N.G.A.R.I.A no chão

 
Um símbolo transporta consigo uma ideia. Este símbolo obviamente é efémero. Tal como ele a ideia não sobreviverá à próxima chuvada.

domingo, 10 de agosto de 2014

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Nós comunicar

Os "Jornais do Povo" trazem a feira. A feira é do povo. Ao povo o que é do povo, mas não vamos abusar.

Gato atento vale por dois

 
2. "A “requalificação” da estrada Viseu-Sátão foi um fiasco. Onde havia uma estrada má, há agora uma rua engarrafada. Uma irritação. Aquelas obras mereceram sempre o repúdio do dr. Ruas. Já o presidente da câmara do Sátão deixou-se na altura calar com a promessa que lhe iam fazer, mais a leste, uma estrada nova.
Ora, no mês passado, de fininho, o secretário de estado Sérgio Monteiro veio “prometer” que o governo fazia a tal estrada nova desde que os municípios do Sátão e Viseu pagassem. Pediu-lhes que estivessem “disponíveis para comparticipar”.
Em Viseu, estranhamente, ninguém se opôs a esta ideia peregrina do secretário de estado das infraestruturas.

Nem a "situação” — que vai entretendo os viseenses com propaganda e orçamentos participativos da treta.
Nem a "oposição" — cuja maior preocupação é o chá de António Almeida Henriques nas inaugurações.
Mas há pior, muito pior: a seguir, o presidente da câmara de Viseu mostrou-se disponível para entrar com dinheiros municipais na tal estrada nova. António Almeida Henriques propõe-se derreter dinheiro dos impostos municipais em obras do governo.
Sem esconder a sua irritação, o dr. Ruas acaba de reafirmar a vontade de regressar em 2017. Com muitas destas, o homem regressa em ombros. A uma câmara falida."
 

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Volta Ruas

Uma parte do PSD pensa "volta ruas", o PS (e bem) não esquece Ruas e Ruas não esquece Viseu. Como o amor platónico é para meninas, esperamos por Ruas pois até já temos saudades da Santana.

sábado, 2 de agosto de 2014

Manifesto Anti-Feirar – E por extenso


Feirar, basta pum basta!

Uma geração, que consente deixar-se representar por um Feirar é uma geração que nunca o
foi!
É uma resma de maus beirões e de vendidos, e só pode Feirar abaixo de zero!

Abaixo o Feirar!
Morra o Feirar, morra! Pim!

Uma geração com um Feirar à proa é uma canoa uni seco!

A vestuta Expovis não saberá gramática, não saberá sintaxe, mas saberá fazer feiras
para dúzias, saberá tudo menos programar que é a única coisa que ela faz!

Feirar pesca tanto de Cultura que até faz sonetos com Emanuel, Canários e Carreiras.

Feirar é de habilidoso!
Feirar é vestir mal!
Feirar é usar ceroulas de malha!
Feirar é Feirar!
Feirar é Júlio de Matos.
Morra o Feirar, morra! Pim!

E o Feirar teve claque! E o Feirar teve palmas! E o Feirar agradeceu!

O Feirar é uma TERÇA-FEIRA!

O Feirar nasceu para provar que, nem todos os que escrevem sabem escrever!
O Feirar em génio nunca chega a pólvora seca.

Feirar é horroroso!
Feirar cheira a Pavia!
Morra o Feirar, morra! Pim!

Se Feirar é ser português eu quero ser romeno!
Feirar é a vergonha da intelectualidade! Feirar é a meta da decadência!

E ainda há quem queira Feirar.
E quem tenha dó de Feirar!
E ainda há quem duvide de que Feirar não vale nada, e que não sabe nada, e que nem é
inteligente nem decente, nem zero!

E fique sabendo que o Feirar, se um dia houver justiça em Portugal todo o mundo
saberá que o asno que aspira a Feirar é memorável.

Mas não julgais que isto se resume a literatura portuguesa? Não! Mil vezes não!

Temos, além d'isto Água de primeira, Viseu melhor cidade para viver, mas Feirar é à terça!

E os concertos do Barreiros! E a cueca a um euro, a mala marroquina e o cheiro a
churro. E tudo o que seja arte em Viseu! E tudo! Tudo por causa do Feirar!

Morra o Feirar, morra! Pim!

Power Trio

 

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

O PS igual a si próprio


Até podem acusar uma "certa" esquerda de caciquismo, mas não podem acusar a "outra" esquerda de falta de humor.